Logotipo - Wirutex
Foto - Veja o que você pode perder quando isso acontece

Veja o que você pode perder quando isso acontece

28/01/2021    Nenhum comentário

Por que a fresa de diamante para CNC fica preta - Um dos principais motivos é o superaquecimento. Neste caso, você pode estar perdendo 80% da vida útil da ferramenta, sem contar que estará operando com apenas 50% da performance para a qual ela foi projetada.

Fique atento aos sinais:

- A fresa fica muito quente, em alguns casos até há fumaça.

- Ela perde o fio de corte e fica com coloração escura, de "queimada".

- Por perder o fio, o acabamento da usinagem fica ruim.


Esses problemas são causados geralmente por:

- Parâmetros de corte errados (RPM e Avanço).

- Canais de escoamento da fresa impregnados de cavaco e resina, o que dificulta a saída dos resíduos.

- Iniciar a operação em 90º, como se a fresa fosse furar como faz uma broca.

Como resolver tecnicamente cada um desses problemas?

1- Fazer o ajuste de RPM e Avanço

Há uma relação ideal entre RPM e Avanço que deve ser aplicada para que a fresa trabalhe em sua máxima performance. Veja o que acontece quando essa relação não é perfeita:

- Quando são aplicados muita rotação e pouco avanço, o cavaco produzido se torna muito fino, o que faz a ferramenta aquecer rapidamente, causando a fumaça.

- Quando são aplicados pouca rotação e muito avanço, o cavaco fica muito espesso. Isso dificulta o escoamento e a fresa superaquece.


Quer dizer, quando a relação entre RPM e avanço está em desacordo, inevitavelmente acontecerá o superaquecimento da fresa.

Observe também que outros fatores podem influenciar diretamente na performance de corte, como vibração, fixação da chapa e potência do motor. Eles poderão ser abordados em futuras matérias.


2- Sempre realizar a operação da fresa em rampa

Esse procedimento geralmente não é levado a serio, mas é de suma importância. Ferramentas diamantadas têm essa particularidade operacional. Ela deve ser programada para realizar a decida em rampa, quanto maior o comprimento da rampa, melhor.

Mas qual o problema de entrar "furando" na chapa como se a fresa fosse uma broca - A fresa tem uma geometria própria para aplicar Avanço Horizontal (face) para fresar, já a broca tem geometria para aplicar Avanço Vertical (face) para furar. Logo, ao "furar" como uma broca, os canais de escoamento, que não são para esse fim, dificultarão a saída do material, e a fresa vai superaquecer. Quando é aplicado o movimento de rampa, o escoamento é livre e a fresagem é feita sem maiores problemas, garantindo uma vida útil superior.

3- Deve-se respeitar a área útil de corte da ferramenta

é comum encontrarmos operadores que usinam peças altas em duas ou mais passadas, sem respeitar a área útil de corte da fresa.

Basicamente, a fresa é projetada para um fim específico. A área útil de corte e geometria ideal são determinadas de acordo com a espessura da chapa, densidade do material, entre outras variáveis. Portanto, ao usinar painéis altos com uma fresa com pouca área de corte, quando houver a segunda passada com certeza o cavaco ficará preso nos canais de escoamento e a ferramenta superaquecerá. Por isso, é recomendado que cada altura de painel tenha sua fresa com área de corte compatível e geometria ideal para a operação.

Cada processo de usinagem tem suas particularidades. Por isso, frisamos a importância da consultoria Wirutex Basso. Nossa intenção é desenvolver ferramentas e peças de reposição perfeitas para que executem sua operação, de forma personalizada, com o máximo de precisão.

Para mais informações, deixe seu telefone ou endereço digital no campo de comentário. Entrarei em contato o mais breve possível.

Carlos Fabichaki (consultor de vendas Wirutex Basso)





Comentários

Preencha todos os campos, por favor.

Seja o primeiro a comentar este post!